Skip to content

Estrutura de Diretórios do Asterisk

No post de hoje, o intuito será explanar sobre o esquema de diretórios do Asterisk, por isso, partiremos do ponto em que todo software necessita hospedar seus arquivos dentro de alguma parte do sistema operacional, seja ele livre ou proprietário. Estes arquivos podem conter logs, arquivos de configuração, arquivos de cache, entre outros elementos. E por ser um software, o Asterisk, entra nesta regra.

Depois da instalação do Asterisk, seja ela manual (compilada) ou automatizada (gerenciador de pacotes) ele irá criar em seu computador uma séria de arquivos e diretórios, sendo os seus diretórios os seguintes:

/etc/asterisk – Principais arquivos de configuração do Asterisk;

/var/lib/asterisk – Armazena o AstDB, um banco de dados interno doAsterisk;

/var/lib/asterisk/agi-bin – Arquivos AGI (Asterisk Gateway Interface) de scripts e programas de terceiros que podem ser executados pelo Asterisk;

/var/lib/asterisk/firmware – Arquivos de firmwares para as placas padrão DAHDI:

/var/lib/asterisk/images – Arquivos de imagens para o ambiente de gerenciamento Web

/var/lib/asterisk/keys – Arquivos de par de chaves usado na autenticação de troncos IAX.

/var/lib/asterisk/moh – Arquivos de música em espera (Music on Hold);

/var/lib/asterisk/sounds – Arquivos de sons que podem ser utilizados nas chamadas telefônicas e na utilização de aplicações como URA por exemplo;

/var/lib/asterisk/static-http – Arquivos de exemplo para criação de um ambiente de gerenciamento Web para o Asterisk;

/usr/lib/asterisk/modules – Arquivos de módulos, aplicativos, funções,codec’s, canais etc;

/var/spool/asterisk/monitor – Diretório padrão para os arquivos de gravação de chamadas;

/var/spool/asterisk/voicemail – Contém as mensagens de áudio das caixas postais;

/var/log/asterisk – Arquivos de log, usado para análise na hora de resolver algum problema (troubleshooting).

*** As informações referentes aos diretórios foram retiradas, de forma rigorosa e idêntica do material pertencente à Felipe Ribeiro Pasa e Flávio Henrique Somensi, disponibilizadas na apostila Construindo um PABX-IP Na prática com Asterisk e SNEP***

Com estas informações fica, sem dúvida alguma, muito mais fácil compreender o Asterisk e seu funcionamento.

É expressamente importante identificarmos a estrutura de um software para podermos compreende-lo de maneira exata e sucinta, e pensando justamente nisso, fiz esta postagem.

Ressaltando que, esta estrutura é somente para Asterisk puro, sem nenhuma interface de gerenciamento, uma vez que esta poderia alterar qualquer um dos valores informados acima.

 Adiante, baseado no mesmo material, falarei um pouco mais sobre os principais arquivos de configuração do Asterisk. Até a próxima.
Entusiasta por Linux e telecomunicações. Extrovertido, comunicativo e fascinado por disseminar o conhecimento. Tenho como hobby escrever artigos para este blog desde 2013.
Só mais um maluco que aprendeu a codar e vive perdidamente apaixonado por Shell <3
Published inAsteriskTelefoniaTelefonia IP

One Comment

  1. […] De início, é necessário que entenda a função do arquivo sip.conf (Que basicamente serve para gerenciar configurações de todos os peers que utilizarem tecnologia SIP) e onde ele fica (caso não saiba, é fácil resolver, você descobre aqui). […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Feito com amor, usando WordPress
Compilando...

Opa, que tal receber as novidades?

Inscreva-se para ficar sabendo das novidades do blog em primeira mão.